Capítulos

Índice do Artigo
Capítulos
12 - O encontro com Sorat
16 - A incorporação
22 - O fenômeno
39 - Caminhando nas trevas
40 - Os residentes fixos
47 - As Eras
Todas as Páginas

 

Capítulo 47

As Eras

Kuius me recebeu com um sorriso; parecia animado e foi logo falando:

— Como está se sentindo?

— Estou muito bem — respondi, alegre.

Nos dias mais recentes a minha lembrança do dia de vigília — das coisas que aconteciam no Mundo Material — estava cada vez mais acurada. Ainda era uma lembrança incompleta, mas eu notava que dia a dia estava evoluindo.

— Você terminou sua lista — comentou. — Como estão suas emoções e pensamentos?

— Vasculho mas não encontro mais medo dentro de mim, Kuius. É muito bom estar livre disto.

— Sim, é muito bom. Lembra daquelas instruções, no Mundo Imaterial, sobre o perdão?

— Sim, lembro.

— O que estava no lado oposto ao medo?

— Soberba? — respondi após rememorar alguns instantes.

— Sim, a soberba. Orgulho, prepotência, arrogância, sentimento de superioridade.

— Ahã... — exalei, desconfiado. “Onde ele está querendo chegar?” — pensei.

— Será seu próximo desafio, Christian. Sempre que se dá um passo evolutivo tendemos à soberba. Fique alerta — recomendou. — Vamos em frente! Falemos sobre a questão das Eras deste planeta; pode ser?

— Sim, vamos em frente — disse, animado com a perspectiva de novos conhecimentos.

— Uma Era é o período compreendido entre dois eventos que marcam grandes mudanças evolutivas no planeta e nos reinos que o habitam. A atual humanidade está na Quinta Era, o que significa que já se passaram quatro, obviamente. Cada Era é composta de sete épocas culturais, que são períodos definidos pela predominância de um grupo humano. Tudo bem até aqui?

— Sim, pode prosseguir — falei, enquanto minha mente fervilhava de perguntas.

— O essencial neste momento é que você compreenda as trajetórias da Quarta e da Quinta Eras.

— Em qual ponto estamos da Quinta Era? — questionei, não me contendo mais.

— No dia oito de agosto de 2008 esta humanidade ingressou na sexta época cultural, que podemos chamar de Russo-Chinesa.

— Russo-Chinesa? E como se chamaram as outras?

— Veja o esquema — e apontou para uma listagem que surgiu sobre a esfera translúcida.

 

QUINTA ERA

1ª época cultural: Hindu

2ª época cultural: Persa

3ª época cultural: Egipto-Caldaica

4ª época cultural: Greco-Latina

5ª época cultural: Anglo-Saxônica

6ª época cultural: Russo-Chinesa

7ª época cultural: Pan-Americana

 

Olhei atentamente a relação e ela parecia fazer sentido para mim; continuei perguntando:

— Como podemos saber de algo que ainda não aconteceu? A sétima, por exemplo, a Pan-Americana.

— Toda a evolução planetária já está traçada, Christian. Nosso destino também já é sabido. Muitos de nós têm a habilidade da precognição; os próprios humanos têm seus videntes e profetas, não? É óbvio que algumas coisas que falarmos aqui não estão disponíveis a todos.

— E o que acontece depois da sétima época cultural?

— Inicia a Sexta Era e o evento que a precede é o motivo primordial de estarmos aqui, o objeto de nossa tarefa.

— Que evento é este, Kuius? — perguntei, sentindo um temor repentino.

— A Guerra de Todos Contra Todos.